Internet Segura - DICAS DE NAVEGAÇÃO SEGURA NA INTERNET

domingo, 21 de abril de 2013

Internet Segura - DICAS DE NAVEGAÇÃO SEGURA NA INTERNET

 
PROTEÇÃO AOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA INTERNET

É direito da criança e do adolescente ter acesso à informação, à produção de conteúdo e ao lazer na internet.
Para proteger esses direitos e impedir que meninos e meninas sejam vítimas de violência na rede, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República- SDH/PR tem apoiado e desenvolvido programas, ações e atividades voltadas para a segurança na internet.
Desde 2008 o Governo Federal por meio da SDH/PR e da Policia Federal tem atuado em parceria com a Safernet Brasil para o enfrentamento das violações de Direitos Humanos na internet, na divulgação de informações, produção de campanhas, realização de capacitações e desenvolvimento de conteúdos educativos.
O HELPLINE, por exemplo, é um canal desenvolvido com a Safernet Brasil, especializado no atendimento de crianças e adolescentes. Esse ambiente orienta  a criança, o adolescente, a família e a todos que vivenciaram situações de violência on-line como humilhações, intimidações, chantagem, exposição forçada e tentativa de violência sexual, sobre como conduzir e enfrentar essas questões.
Conheça mais sobre o helpline em: www.helpline.com.br.
No Projeto Nética: www.netica.org.br, a Secretaria de Direitos Humanos apoia ações de segurança na internet com foco na sensibilização de educadores e agentes do sistema de garantia de direitos.

DICAS DE NAVEGAÇÃO SEGURA NA INTERNET

Não desvie o olhar. Fique atento. Denuncie.

Não desvie o olhar. Fique atento. Denuncie.
PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

 

 

Todos os anos, o Governo Federal, por meio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República – SDH/PR, realiza a Campanha Nacional de Carnaval pelo Fim da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, como forma de conscientizar a sociedade sobre a incidência dessa prática em todo o país.
Neste ano, em virtude da necessidade de uma estratégia mais abrangente de comunicação para a proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes, a mobilização de carnaval segue a linha da Campanha Nacional pelos Direitos da Criança e do Adolescente, que a partir de agora e ao longo dos próximos meses, abordará diversos temas relativos aos direitos fundamentais de meninas e meninos, focando na necessidade de proteção, uma prioridade absoluta e compartilhada entre a família, o Estado e a sociedade, conforme determina a Constituição Federal de 1988.
Faça a sua parte. Fique atento aos direitos das nossas crianças e adolescentes e, em caso de violações, não desvie o olhar. Fique atento. Denuncie. PROTEJA. Divulgue esta campanha, procure o Conselho Tutelar ou Disque 100. Proteger nossas meninas e meninos de todas as formas de violência é uma responsabilidade de todos!


Contaminação em rio após roubo na Petrobrás

sábado, 20 de abril de 2013

Contaminação em rio após roubo na Petrobrás

Moradores da cidade de Barbacena (173 km de Belo Horizonte) estão sem água há uma semana por causa de uma tentativa de roubo de diesel que foi fracassada. Na fuga, os ladrões despejaram o combustível no rio que abastece a cidade, que foi contaminado. O caminhão que continha o diesel atolou durante a ação criminosa e os suspeitos, na tentativa de tornar o veículo mais leve, abriram o tanque.
De acordo com a prefeitura, a ação dos crimonosos ocorreu no último dia 11. Um dos suspeitos de tentar roubar o veículo que pertence à Petrobras foi detido, mas os outros ainda continuam foragidos.
A captação de água do rio das Mortes foi interrompida depois de constatada a contaminação pelo diesel e foi decretado estado de emergência na cidade. A prefeitura informou que abastece desde então os locais prioritários da cidade e as casas afetadas com caminhões-pipa.
A cidade tem 126 mil habitantes, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e aproximadamente 80 mil moradores teriam sido afetados.

Retorno

Nesta quarta-feira (17), a prefeitura informou ter sido autorizada a captação no rio das Mortes depois que análises feitas em laboratório demostraram a potabilidade da água.
Ainda conforme o órgão, o trabalho de descontaminação "progrediu positivamente" e houve o aval para a retomada da ativação do sistema de captação de técnicos da empresa responsável pelo abastecimento do município e da secretaria de Saúde Estadual e Defesa Civil.
No entanto, segundo a nota divulgada pela administração municipal, a distribuição da água somente será normalizada, na sua integralidade, dentro de alguns dias.
O serviço de distribuição feito pelos caminhões-pipa será mantido, conforme o texto.
O SAS (Serviço de Água e Abastecimento) de Barbacena alertou sobre a possibilidade de a água apresentar, em um primeiro momento, uma "coloração" que, de acordo com a empresa, vai derivar por causa "da temporária falta de uso das tubulações e das caixas d´água sem limpeza ou manutenção".
"Qualquer problema na qualidade da água nas primeiras horas de funcionamento do sistema não terá origem na captação, cuja qualidade da água está plenamente assegurada e garantida pelos exames técnicos.", informou a nota da prefeitura.






O dinheiro chegou de uma empresa. Eu nem deveria ter deixado passar. Foi uma falha

Ataques em Boston não eram parte de plano maior, diz governo dos EUA

terça-feira, 16 de abril de 2013




16/04/2013 16h44 - Atualizado em 16/04/2013 18h01

Ataques em Boston não eram parte de plano maior, diz governo dos EUA

País ampliou medidas de segurança 'visíveis e invisíveis', diz secretária.
Explosões em maratona em Boston deixaram 3 mortos e 176 feridos.

Do G1, em São Paulo
 

A secretária de Segurança Interna dos EUA, Janet Napolitano, disse nesta terça-feira (16) que não havia indicação de que os ataques a bomba que mataram 3 pessoas e feriram 176 em Boston na véspera, sejam parte de um plano mais amplo.
Napolitano afirmou que "por excesso de zelo" as autoridades iam manter as medidas de segurança -visíveis e invisíveis- ampliadas no sistema de transportes do país.
Ela pediu ao público americano que fique vigilante e que imediatamente relate às autoridades qualquer sinal de atividade suspeita.
Investigação
O FBI, polícia federal dos EUA, assumiu a chefia da investigação do ataque da véspera, ocorrido na linha de chegada da tradicional Maratona de Boston.
O local está sendo tratado como "cena do crime" e vai haver coleta de provas durante vários dias, informou Rick DesLauriers, agente especial do FBI, durante entrevista coletiva conjunta das autoridades sobre o caso.
O FBI não confirmou informações sobre detidos em relação com o ataque. O comissário Ed Davis, da polícia local, disse que ninguém está sob custódia.
arte mapa boston versão 5 (Foto: 1)
Várias testemunhas estão sendo ouvidas.
Fontes da polícia afirmaram que um saudita que estaria sendo mantido sob custódia no hospital, na verdade, apenas foi ouvido como testemunha.
A polícia pediu "paciência" aos moradores da região e disse que os cidadãos devem se acostumar com a segurança intensificada na cidade nos próximos dias.
Bombas poderosas
As duas fortes explosões ocorreram na chegada da Maratona. Segundo a polícia, as explosões foram causadas por duas bombas "rudimentares, mas poderosas".
O governador de Massachusetts, Deval Patrick, desmentiu que outras bombas não detonadas tenham sido encontradas no local.
Os dispositivos que explodiram foram embalados com pólvora, rolamentos de esferas e estilhaços para maximizar os ferimentos das vítimas, de acordo com uma autoridade policial com conhecimento da investigação, que não quis ser identificada.
Entre os mortos, está um menino de 8 anos de Dorchester, nas proximidades de Boston. Segundo o jornal, a mãe e uma irmã do garoto Martin Richard tiveram ferimentos graves na explosão.
Outra vítima era Krystle Campbell, de 29 anos, segundo a rede CNN e o USA Today.
Feridos
Algumas das vítimas terão de passar por cirurgia nos próximos dias, disse Peter Fagenholz, cirurgião do Hospital Geral de Massachusetts.
Fontes hospitalares ouvidas pela Reuters disseram que dez feridos tiveram membros amputados.
Uma criança de dois anos estava sendo tratada no Hospital Infantil de Boston por causa de um ferimento na cabeça, informou o hospital.
"Pedimos que todos estejam vigilantes. Qualquer atitude fora do comum, por favor nos avise", disse o governador Patrick.
Uma autoridade federal ouvida pela Reuters disse que é necessário descobrir se se trata de algum grupo nacional ou estrangeiro.
Agentes do FBI e da Segurança Nacional foram vistos entrando em um complexo de apartamentos na Ocean Avenue, em Water’s Edge. Diversos veículos da polícia foram vistos no entorno do local.
O garoto Martin Richard em foto divulgada pela família (Foto: AP) 
O garoto Martin Richard em foto divulgada pela família (Foto: AP)
O Corpo de Bombeiros de Revere informou ter sido acionado para auxiliar a polícia em uma busca em um apartamento de uma “pessoa de interesse”, segundo uma nota do departamento.
As explosões geraram uma cena de caos na cidade, com feridos e escombros pela rua e movimento de paramédicos. Por precaução, a agência de aviação civil dos EUA fechou o espaço aéreo sobre a região de Boston.
O incidente ocorreu no momento em que milhares de corredores terminavam a 117ª edicão da maratona, considerada a mais antiga do mundo, disputada desde 1897. Muitas pessoas estavam no local, em clima festivo, esperando pela chegada dos corredores.
As duas explosões, quase simultâneas, ocorreram por volta das 14h50 locais (15h50 de Brasília).
Testemunhas falam ter visto feridos graves, com membros amputados, e muito sangue.
A prova deste ano era disputada por pelo menos 131 corredores brasileiros.
Terceira explosão
A polícia também havia informado que uma terceira explosão atingiu a Biblioteca e Museu Presidencial JFK, também em Boston, a 5 quilômetros do local da maratona. Rachel Day, porta-voz da biblioteca, disse que houve um incêndio no local, mas sem feridos.
Krystle Campbell em foto de perfil feito por amigos em sua homenagem no Facebook (Foto: R.I.P. Krystle Campbell/Facebook) 
Krystle Campbell em foto de perfil feito por amigos em sua homenagem no Facebook
(Foto: R.I.P. Krystle Campbell/Facebook)
Segundo a polícia, esta explosão não estava relacionada com as ocorridas na maratona.
O comissário de polícia Ed Harris disse que não havia conhecimento de nenhuma ameaça anterior aos incidentes.
Os policiais também pediram que a população não se reúna em grupos e que procure se manter em suas casas.
Nova York em alerta
O departamento de polícia de Nova York aumentou a segurança nos principais marcos turísticos de Manhattan, incluindo áreas próximas de importantes hotéis, disse o vice-comissário da polícia local, Paul Browne. Browne afirmou à Reuters que a polícia de Nova York estava enviando veículos de contra-terrorismo para toda a cidade.
A polícia de Washington também aumentou o nível de segurança. Um cordão de isolamento foi posto em frente à Casa Branca, residência oficial do presidente.
Obama
O presidente dos EUA, Barack Obama, mandou reforçar a segurança no país após o incidente, que qualificou de "ato de terror", e prometeu investigá-lo "a fundo".
Ataques anteriores
O atentado foi o pior ataque a bomba no solo dos EUA desde que o militante norte-americano de extrema-direita Timothy McVeigh detonou um caminhão-bomba que destruiu um edifício federal em Oklahoma City, em 1995, matando 168 pessoas.
Dois anos antes, militantes islâmicos explodiram bombas nas torres gêmeas do World Trade Center, matando seis pessoas e ferindo mais de 1.000.

O dinheiro chegou de uma empresa. Eu nem deveria ter deixado passar. Foi uma falha

"O dinheiro chegou de uma empresa. Eu nem deveria ter deixado passar. Foi uma falha"

Durante as eleições de 2012, o atual ministro da Agricultura, Antônio Andrade, autorizou uma operação com indícios de crime eleitoral para financiar a campanha do PP em Santos Dumont. Em gravação obtida por ISTOÉ, ele confirma o repasse

por Claudio Dantas Sequeira

Chamada.jpg
Transcrição do diálogo entre o então presidente do PMDB de Minas, hoje ministro da agricultura, Antônio Andrade e o advogado da coligação PMDB-PT em Santos Dumont (MG), Conrado Luciano Baptista.
Na conversa, ocorrida no dia 19 de dezembro de 2012, Conrado pergunta sobre a doação no valor de R$ 100 mil do PMDB mineiro para o candidato do Partido Progressista, adversário eleitoral em Santos Dumont (MG). O atual ministro Antônio Andrade responde que o dinheiro obtido pelo deputado federal João Magalhães (PMDB-MG) veio de uma empresa e foi transferido para Luiz Fernando de Faria (PP-MG). O repasse é considerado ilegal e, de acordo com especialistas em direito eleitoral, tem indícios fortes de caixa 2. No diálogo, o ministro admite que foi uma falha.
Advogado da coligação PMDB-PT em Santos Dumont (MG), Conrado Baptista
– O PMDB de Minas disse que não tinha dinheiro para repassar para nenhuma cidade (durante as eleições municipais de 2012). Só que os adversários do Partido Progressista alegam ter recebido uma doação de R$ 100 mil do PMDB.
Então presidente do PMDB-MG, hoje ministro da Agricultura, Antônio Andrade
– É... vou te explicar. Esse é um recurso que o João Magalhães (PMDB-MG) tinha que repassar para o Luiz Fernando (PP-MG). O dinheiro chegou de uma empresa. Isso passou e eu nem deveria ter deixado passar.
MINISTRO-02-IE-2265.jpg
Conrado
– Mas por que fez isso? O PMDB fez os trâmites legais ou não sabia?
Antônio Andrade
– O PMDB nem sabia. Esse dinheiro não é do PMDB, o dinheiro é do Luiz Fernando via João Magalhães.
Conrado
– Eu entendi, mas o problema é que eles colocaram na prestação de contas que foi o PMDB que deu, entendeu?
Antônio Andrade
– Mas não deveria ter deixado acontecer. Foi uma falha. Porque, apesar de o dinheiro não ser do PMDB, nós podíamos ter bloqueado e falado “olha, não tem como repassar”. O PMDB deveria ter pedido para a empresa repassar direto para o partido do Luiz Fernando.
Disputas políticas em pequenos municípios costumam passar despercebidas num Brasil de dimensões continentais. Com menos de 50 mil habitantes, a cidade mineira de Santos Dumont está fugindo à regra. A eleição do prefeito, em 2012, virou alvo de uma investigação na Justiça Eleitoral que bate à porta do gabinete do ministro da Agricultura, Antônio Andrade. Então presidente do PMDB mineiro, ele autorizou em meio à campanha municipal do ano passado uma operação financeira considerada totalmente ilegal. O repasse, feito inexplicavelmente a um adversário eleitoral, tem fortes indícios de caixa 2 e lavagem de dinheiro, na avaliação de especialistas em direito eleitoral.

Os fatos apurados por ISTOÉ indicam um caso emblemático, daqueles que se tornam explosivos apesar de terem tudo para não chamar a atenção. Uma pequena cidade, uma eleição de baixa relevância nacional, candidatos pouco conhecidos e verbas quase desprezíveis se comparadas aos bilhões que costumam passar pelas campanhas políticas no País. Talvez essas características expliquem os métodos esdrúxulos e a desfaçatez com que o esquema funcionou: dinheiro vindo de empresa não identificada transitou na contabilidade do PMDB mineiro e foi parar no caixa de seus opositores. O trajeto heterodoxo revela a ponta do que parece um robusto esquema de fraudes que já ameaça comprometer todas as contas do PMDB de Minas Gerais e enrola o ministro da Agricultura num caso exemplar de infidelidade partidária.
1.jpg
Em gravação obtida por ISTOÉ, Antônio Andrade admite ao advogado da coligação PT/PMDB, Conrado Luciano Baptista, ter recebido nas contas de seu partido a doação irregular. “O dinheiro chegou de uma empresa. Mas não era do PMDB, nunca foi. Eu nem deveria ter deixado passar. Foi uma falha”, admite.

O advogado Conrado Baptista gravou o diálogo, sem o conhecimento do atual ministro, no dia 19 de dezembro de 2012. A conversa começou às 15h22 e durou seis minutos. O objetivo da gravação foi reunir provas para a ação de investigação que ele apresentou em seguida à Justiça Eleitoral. O telefonema é revelador das engrenagens do esquema financeiro da legenda. Embora não tenha doado oficialmente nenhum centavo a seu próprio candidato, alegando não ter dinheiro, o PMDB colocou R$ 100 mil na campanha do rival do Partido Progressista. O dinheiro, segundo Andrade, teria sido arrecadado pelo deputado federal João Magalhães (PMDB) a pedido do também deputado Luiz Fernando de Faria (PP). O parlamentar do PP é irmão do candidato eleito em Santos Dumont, Carlos Alberto de Faria (PP), conhecido por Bebeto. “O recurso era do próprio João Magalhães. A empresa doou para ele e o PMDB repassou”, explicou Andrade na conversa com o advogado da coligação PT/PMDB. Para que não restasse dúvida, o advogado da coligação ainda telefonou para o diretório estadual do PMDB. Falou com o contador Filipe Risson, que também confirmou o negócio. “Saiu do PMDB, da conta do PMDB, mas não era do PMDB. Esse dinheiro veio de uma empresa, através de um deputado. E o partido só serviu de ponte”, disse Risson.

As gravações feitas por Conrado Baptista foram anexadas à investigação eleitoral. Procurado por ISTOÉ, o advogado disse que resolveu denunciar a operação por “não compactuar com ilegalidades” e porque entendeu que o caso era maior do que parecia. “Isso é caixa 2. É lavagem de dinheiro”, acusou. Sua opinião é compartilhada pelo advogado Alberto Rollo, um dos maiores nomes do direito eleitoral do País. “Isso cheira fortemente a caixa 2. E, sem dúvida, dá para desconfiar de lavagem de dinheiro”, avalia. Para Rollo, do ponto de vista da prestação de contas, pode ter havido uma fraude contábil. Ele ressalta ainda que o partido precisa demonstrar cabalmente a origem do recurso, sob o risco de incorrer em sonegação. O especialista ainda questiona o repasse a um oponente numa eleição em que o PMDB também concorria. “Nunca vi dar dinheiro para adversário. O presidente estadual da legenda (atual ministro da Agricultura, Antônio Andrade) praticou uma grosseira infidelidade partidária e deveria ser expulso”, diz.
2.jpg
Para complicar a situação do ministro Antônio Andrade, o trecho de sua versão em que tenta justificar a origem do dinheiro foi contestado pelo deputado João Magalhães. Conforme Andrade, teria sido Magalhães quem arrecadou os R$ 100 mil repassados ao PP do município de Santos Dumont. À ISTOÉ, o deputado refutou qualquer relação com o caso. Enredado no episódio pelo hoje ministro da Agricultura, João Magalhães disse que apenas arrecadou para a campanha de sua irmã, Maria Aparecida Magalhães Bifano (PMDB), a Cici Magalhães, e de alguns vereadores. Ele afirma não ter obtido um centavo sequer para a eleição em Santos Dumont. “Não conheço a cidade nem a política de lá. Não tenho nada a ver com essa história”, garantiu à reportagem. A versão do ministro também é desmentida pelo outro deputado que ele envolveu na trapalhada, Luiz Fernando de Faria (PP/MG). Faria, que ajudou a eleger o irmão Bebeto, principal beneficiário dos R$ 100 mil transferidos pelo PMDB mineiro, também não se lembra da participação de Magalhães no repasse de dinheiro. “O João Magalhães não participou disso. Eu arrecadei para a campanha do meu irmão, pois minha cidade precisava de uma nova gestão depois de dois mandatos do PT e do PMDB”, afirmou. Faria diz que não se lembra do nome da empresa doadora da verba que irrigou as contas de campanha do irmão, após o repasse ilegal do então presidente do PMDB, atual ministro Antônio Andrade.

3.jpg
Procurado, o ministro da Agricultura afirmou, por meio da assessoria, que preferia não comentar o caso. Apenas reiterou que os R$ 100 mil foram declarados oficialmente pelo PMDB como doação ao PP. Ao ser informado que sua versão não correspondia à de Magalhães, o ministro indicou o tesoureiro Célio Mazoni e o secretário-geral do PMDB estadual, Sávio Souza Cruz, para conversar com a reportagem de ISTOÉ. A entrada desses novos personagens no enredo que envolve o ministro da Agricultura numa operação ilícita com indícios veementes de crime eleitoral torna o episódio ainda mais nebuloso. As explicações não convencem e só acrescentam mais versões ao caso. Ouvido por ISTOÉ, Souza Cruz disse que o montante supostamente arrecadado por Magalhães foi o dobro. Ou seja, R$ 200 mil. “Ele passou uma relação dos candidatos apoiados por ele que deveriam receber esse recurso”, afirmou. Já o tesoureiro Célio Mazoni contou uma nova história: os R$ 200 mil teriam sido repassados pelo diretório nacional do PMDB. “Magalhães foi lá no diretório estadual e falou que tinha conseguido o recurso em Brasília. Me deu a lista do pessoal a quem deveríamos transferir o dinheiro e me entregou o comprovante do depósito. O diretório nacional mandou para o estadual e eu repassei aos candidatos”, declarou.
Para Rollo, o especialista em direito eleitoral, as diferentes versões só fragilizam a posição do partido e do ministro da Agricultura, Antônio Andrade. “O Ministério Público deve pedir uma perícia nas contas do PMDB, exigir o nome do doador e periciar o registro contábil da empresa também”, revela. Carlos Moura, diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), desconfia da operação e das intenções do PMDB. “Nunca vi isso na minha vida. O que será que o PMDB ganhou intermediando essa doação e doando justamente para um candidato adversário?”, questiona. Para Luciano Pereira Santos, outro integrante do MCCE, situações como essa mostram os problemas do financiamento privado nas campanhas. “É uma situação esdrúxula. Uma triangulação suspeita”, diz. O advogado Eduardo Nobre, também especializado em direito eleitoral, defende uma investigação profunda. “Há um claro esforço em encobrir a origem do dinheiro. O PMDB pode ser punido também com a suspensão das cotas do fundo partidário”, afirma.
4.jpg
Autor do pedido de investigação que envolve o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, o advogado Conrado Luciano Baptista é especialista em direito público, com mestrado em teoria do direito na Universidade de Juiz de Fora. Professor, publicou o livro “Criminalização da Homofobia e sua Constitucionalidade”, no qual debate o Projeto de Lei nº 122, de 2006. No ano passado, durante as eleições municipais, Baptista foi convocado a advogar para a chapa à prefeitura de Santos Dumont (MG), encabeçada pelo petista Labenert Mendes Ribeiro, que, apesar do sobrenome, não é parente do antecessor de Antônio Andrade, na Agricultura, deputado Mendes Ribeiro Filho. Na coligação, o PMDB de Antônio Andrade indicou o vice, Edson Toledo.

Com os R$ 100 mil doados pelo PMDB mineiro, enquanto a campanha de Mendes Ribeiro e de Toledo amealhou pouco mais R$ 50 mil, a de Bebeto Faria (PP) conseguiu R$ 685 mil. Além de eleger o prefeito, a chapa do PP obteve nove das 11 cadeiras da Câmara de Vereadores. A quantidade e a qualidade do material de campanha, além da distribuição de brindes em comícios, levaram a coligação PT/PMDB a pedir à Justiça Eleitoral uma investigação por abuso de poder econômico. Foi durante o levantamento de informações para o processo que o advogado descobriu a doação suspeita feita pelo então presidente do PMDB e atual ministro da Agricultura. “Ao questionar o partido, me deparei com essa situação indecorosa”, conta.
5.jpg
Fontes da prefeitura disseram à ISTOÉ que a empresa, não identificada, doou bem mais que os R$ 100 mil declarados por Antônio Andrade. Seja como for, o pedido de abertura de ação de investigação eleitoral foi acolhido pela Justiça. Em 1º de abril, a juíza Ivanete Jota de Almeida assinou despacho autorizando várias diligências para levantamento de provas. Entre elas, o recibo da doação eleitoral de R$ 100 mil feita pelo então presidente do PMDB de Minas à campanha do candidato do PP.

O tesoureiro Célio Mazoni garante que tem o registro de toda a movimentação. Mazoni também se disse convicto de que o caso de Santos Dumont é isolado. Mas uma rápida pesquisa na prestação de contas do PMDB de Minas Gerais indica que a legenda fez doações para adversários de seus próprios candidatos em pelo menos mais três cidades mineiras. Em Caparaó, apoiou financeiramente Carlim Tibeijo, também do PP, que perdeu para o tucano Cristiano, a quem o PMDB estava oficialmente coligado. Em Almenara, colocou dinheiro na campanha de Julio Mares, do PR, que disputou contra a peemedebista Cira 15. Em Monte Formoso, o dinheiro do PMDB foi para Sérgio Picorelli, do PT.
6.jpg
O que leva um partido a apoiar o adversário numa eleição é algo que desafia a compreensão de especialistas. Pode ser um jogo obscuro com o objetivo de manter o outro candidato numa disputa ou, simplesmente, para que a legenda, mesmo derrotada, tenha influência na gestão de outro partido. O fato é que, como diz Alberto Rollo, a operação ilegal tem cheiro forte de caixa 2 e pressupõe não apenas violações éticas, mas crime eleitoral e contra o sistema financeiro. Como se vê, o PMDB e o ministro Antônio Andrade têm muito o que explicar, e não é sobre Agricultura.
Foto: Adriano Machado
Fotos: karime xavier/folhapress; josé varella/cb/d.a press

“Vida de Cão” – Os cães e a terceira idade

quarta-feira, 10 de abril de 2013

 “Vida de Cão” – Os cães e a terceira idade
Não tem jeito nem escapatória, porque isso acontece com tudo e todos no mundo inteiro, um hora os nossos amigos peludos vão ficar velhinhos. E, assim como com os humanos, as mudanças de temperamento e comportamento também são visíveis nos cães que chegam à terceira idade.
Segundo o doutor Marcelo Quinzani, diretor clínico do Pet Care Morumbi, um cachorro idoso apresenta diminuição acentuada da atividade física e do interesse em disputar território, por conta da diminuição de hormônios reprodutivos.
Mas essa perda do vigor físico pode ter seu lado bom. "Um filhote requer muita paciência e treinamento para se adequar à rotina da casa e aprender os comandos. O adulto já esta adaptado à casa e já esta mais tranquilo e tende e requerer menos cuidados. Já o idoso, é como se voltasse a ser criança, pois requer mais atenção e cuidados médicos, com a vantagem de serem mais tranquilos", diz.
À medida que os cães ficam mais velhos, eles podem continuar fazendo todas as atividades normalmente, como passear e brincar, mas é importante que os donos estejam atentos para respeitar o novo ritmo do animal. Em média, os cães entram na terceira idade aos sete anos, mas isso é relativo, pois as raças e o porte dos animais influenciam muito.
Com o tempo, a queda da atividade física vai se acentuando, tanto que alguns bichos deixam até de gostar de passear, e portanto não fazem tanta bagunça em casa. Segundo Quinzani, o tempo de convivência do cão com "seus humanos" traz uma tranquilidade e uma dedicação maior ao dono e à casa.
Mas, como lembra o médico veterinário, "um cão idoso merece respeito e cuidados mais intensivos, pois fica mais frágil". Neste episódio do "Vida de Cão", aprenda como lidar com seu amigo, agora velhinho.

China registra oitava morte por novo vírus da gripe aviária

terça-feira, 9 de abril de 2013

 Liu Junxi/Associated Press Médico com proteção química toma conta de paciente de 55 anos infectado pelo vírus H7N9 em hospital de Anhui, na China 


China registra oitava morte por novo vírus da gripe aviária

 

09/04/2013 | 17h45min 

 

 Liu Junxi/Associated Press Médico com proteção química toma conta de paciente de 55 anos infectado pelo vírus H7N9 em hospital de Anhui, na China
 
 

A China registrou nesta terça-feira a oitava morte causada pelo vírus H7N9, nova cepa da gripe aviária, que foi detectada no leste do país, incluindo a cidade de Xangai, maior centro financeiro chinês. Desde que a doença foi encontrada em humanos, em março, foram detectados 24 casos na região.
Segundo a agência de notícias Xinhua, a última vítima da gripe aviária tinha 83 anos e morava na Província de Jiangsu, a 300 km de Xangai. Ela foi internada com febre em 20 de março e teve a gripe confirmada em 2 de abril. Não foi divulgado o sexo ou a identidade da vítima.
Devido ao risco da doença, o governo chinês fechou uma série de mercados de aves vivas em toda a região na semana passada e sacrificou milhares de animais. O país mantém em quarentena dezenas de pessoas que tiveram contato com as vítimas, embora ainda não tenha sido detectada transmissão do vírus entre humanos.
Na segunda (8), a Organização Mundial de Saúde (OMS) elogiou a China pela mobilização de recursos em todo o país para combater o vírus através do abate de milhares de aves e do monitoramento de centenas de pessoas próximas aos infectados.
O surto de gripe aviária causou preocupação global e alguns usuários da internet e jornais chineses têm questionado por que o governo levou tanto tempo para anunciar os novos casos, especialmente porque duas das vítimas ficaram doentes em fevereiro.
As autoridades chinesas inicialmente tentaram encobrir o surto de gripe aviária. No caso da cepa H7N9, as autoridades disseram que precisaram de tempo para identificar o vírus, com casos espalhados entre as províncias do leste de Zhejiang, Jiangsu e Anhui, bem como em Xangai.
Ações de companhias aéreas caíram na Europa e em Hong Kong em meio a temores de que o vírus poderia provocar uma epidemia semelhante à da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars, na sigla em inglês), que surgiu na China em 2002 e matou cerca de 10% das 8.000 pessoas infectadas em todo o mundo.
Folha de São Paulo

Fonte: http://www.paraiba.com.br


Menina de 2 anos comemora fim de quimioterapia e comove internautas

Menina de 2 anos comemora fim de quimioterapia e comove internautas

Imagem teve mais de 100 mil 'curtidas' em página de combate ao câncer.
Acompanhamento da criança é feito em hospital de São José dos Campos.

Mais de 100 mil 'curtiram' a foto de Manu comemorando a evolução no tratamento contra o câncer.
(Foto: Reprodução/ Facebook)

Após lutar os seus quase três anos de vida contra um câncer raro, a história da pequena Manu vem causando comoção nas redes sociais. Em março, ela completou sete meses sem a necessidade de realizar sessões de quimioterapia e comemorou a evolução no tratamento com uma foto agradecendo ao hospital onde ela realizou o tratamento, em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

Em pouco mais de uma semana, mais de 100 mil pessoas curtiram a imagem em uma comunidade voltada ao combate do câncer. Somente na primeira publicação da foto foram cerca de 92.500 'curtidas'. Na foto, a menina segura um cartaz com a frase: "Estou a (sic) 7 meses sem quimioterapia!!! Agradeço a Deus e ao GACC - São José dos Campos".

A ideia de colocar a foto na internet foi de Erick Moura, pai de Manu. Além de comemorar a evolução do tratamento da filha contra a Histiocitose de Células de Langerhans, o objetivo, segundo ele, é também ajudar o Grupo de Assistência a Criança com Câncer (Gacc), onde ela realizou o tratamento e que passa por uma crise financeira.

"A gente sabe da dificuldade para se manter um hospital daquele porte. Não é fácil. Aí tivemos a ideia de comemorar os 7 meses sem quimioterapia da Manu, mas também jogar uma sementinha para que as pessoas se sensibilizem pelo o que o Gacc está passando. Minha filha está em fase final de tratamento, mas tem muito mais gente que precisa de ajuda", afirmou ao G1.

O Gacc é o único hospital do Vale do Paraíba especializado em tratamento para crianças com câncer e tem uma dívida estimada de aproximadamente R$ 800 mil. Segundo a unidade, o número de pacientes atendidos cresceu no ano passado em uma proporção muito maior que a capacidade de captação de recursos. O resultado é uma dívida que não para de crescer e que já coloca em risco o funcionamento do hospital.
"A gente fica chateado por essa crise porque a gente sabe o tanto que eles fazem. Não só por nossa filha, mas para muitas crianças. Eles fazem tudo pensando no tratamento. Sempre fizeram o melhor pela minha filha. É um trabalho muito bonito, humano. Não só paciente, mas família também. Eles fazem muita coisa mesmo, pensando principalmente no bem-estar", disse Moura.
Tratamento
Emanuela Kobanawa tem 2 anos e 9 meses, mas luta contra a Histiocitose de Células de Langerhans desde os três meses de vida. A doença é caracterizada pela proliferação e acúmulo de células Langerhans, um tipo de célula de defesa jovem, em vários tecidos. Na maioria dos casos, a apresentação da doença acontece na infância.

Por conta da doença da filha, a família que morava no interior de Goiás teve que mudar toda sua rotina. Antes de chegar ao Gacc, a criança iniciou o tratamento no Hospital Araújo Jorge, em Goiânia, onde ficou internada durante dois meses.
No começo do tratamento da doença no Gacc, ela teve a primeira complicação por conta das sessões de quimioterapia e chegou a ficar 45 dias internada no hospital, sendo 30 na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Atualmente, a família de Manu vive em Itajubá, no sul de Minas Gerais. Apesar disso, as visitas dela a São José dos Campos continuam, já que Manu ainda não teve alta no tratamento. Ela ainda faz um acompanhamento periódico junto ao Gacc, mas os pais confiam na cura da filha.

"O risco da doença voltar ainda existe. O acompanhamento estava inicialmente em uma vez por mês, mas agora está indo de dois em dois meses. O tempo desse acompanhamento depende da evolução dela. Sete meses sem quimioterapia representa o caminho certo. Estamos confiantes, acreditamos na cura dela", explica o pai.

Crise no Gacc
Fundado há 20 anos, o Gacc oferece atendimento integral a mais de 500 crianças e jovens em 39 cidades do Vale Paraíba e região. Desde julho de 2008, a entidade conta com o Centro de Tratamento Fabiana de Morais (CTFM), único hospital da região habilitado pelo Ministério da Saúde como de alta complexidade em oncologia. No local, 80% dos pacientes atendidos são do SUS.
A unidade corre o risco de suspender o atendimento por conta de dificuldades financeiras. A dívida acumulada apenas em 2012 soma R$ 800 mil. Além disso, o déficit mensal é de R$ 200 mil. O montante repassado pelo SUS cobre apenas 30% das despesas. Para colaborar com o Gacc, acesse o site www.gacc.com.br e clique no link quero fazer uma doação.

(*) Colaborou Débora Carvalho

Fonte: G1

TSE altera número de deputados federais de 13 estados

TSE altera número de deputados federais de 13 estados

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira (9), por cinco votos a dois, alterar a quantidade de deputados federais de 13 estados para as eleições de 2014.
O novo cálculo foi feito com base dos dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Atualmente, a divisão das 513 cadeiras da Câmara tem por base a população dos estados em 1998.
Se algum estado considerar inconstitucional a nova divisão, pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Pelos dados apresentados pelo TSE, os estados de Alagoas, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul perderão uma cadeira. Paraíba e Piauí perderão dois deputados.
Ganharão mais uma cadeira Amazonas e Santa Catarina. Ceará e Minas Gerais passarão a ter mais dois deputados. O Pará foi o maior beneficiado - passará de 17 cadeiras para 21. O estado de São Paulo continuará com 70 cadeiras.
A decisão, conforme estabeleceu o TSE, terá impacto nas assembleias legislativas e na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Discussão no TSE
A proposta aprovada foi apresentada pela ministra Nancy Andrighi, relatora de ação apresentada pela Assembleia Legislativa do Amazonas para que fosse feita a redefinição das cadeiras em razão do aumento populacional de diversos estados. Segundo os dados apresentados, o Amazonas ganhou duas novas cadeiras - de 8 para 10.
A legislação estabelece que a Câmara deve ter 513 deputados. Cada estado deve ter entre 8 e 70 parlamentares, a depender do tamanho da população. A Constituição diz que o número de deputados de cada bancada deve ser definido no ano anterior às eleições.
O caso começou a ser julgado em março de 2012, mas acabou adiado por um pedido de vista (mais tempo para analisar o pedido). O TSE acabou decidindo promover uma audiência pública sobre o assunto em maio do ano passado.
A ministra Cármen Lúcia chamou os presidentes dos partidos políticos para uma reunião na manhã desta quarta (10).
Ela pretende explicar a eles a decisão tomada pelo plenário do TSE, além de abordar as instruções normativas para as eleições de 2014.

A favor
De acordo com a relatora Nancy Andrighi, relatora da proposta, para calcular o número de cadeiras para cada estado, foi considerada a população de 2010, de 190,755 milhões de habitantes.
A população total foi dividida pelo número de cadeiras na Câmara (513). Nessa fase despreza-se a fração, considera-se o número inteiro. O estado que não chegou a 8, teve o número automaticamente arredondado. Com isso, 496 das 513 cadeiras foram preenchidas.
Após o cálculo, uma nova fase foi feita para dividir as 17 vagas que sobraram. Considerou-se então a população dos estados.
"A proposta assegura maior proporcionalidade entre as unidades da federação e o número de cadeiras. E ainda tem vantagem em fundar-se no cálculo previsto na legislação eleitoral. Defiro [o pedido do Amazonas] para reformular o número de deputados por estado nas eleições de 2014", disse a ministra.
O ministro Henrique Neves, que ajudou a criar a nova regra de distribuição, disse que a mudança acompanha a evolução do tamanho da população, que aumentou 14% entre 1998 e 2010. "É natural a necessidade de reajuste para efeito de proporcionalidade."
Também votaram a favor da mudança as ministras Laurita Vaz e Luciana Lóssio, além do ministro Dias Toffoli.
Toffoli, que também é ministro do STF, destacou que não analisou a constitucionalidade da divisão. "Os partidos políticos foram ouvidos. Não vejo nenhuma nulidade. Sem prejuízo de futuramente analisar a legalidade", destacou.

Contra
Só dois ministros votaram contra a redistribuição: Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia. Os dois ressaltaram que há inconstitucionalidade na divisão, uma vez que não caberia ao TSE decidir sobre a mudança, mas sim ao Congresso.
"Só se tranfere a competência que a Constituição permite. [...] O artigo 45, parágrafo 1º da Constituição, não faz qualquer referência ao TSE. Diz que o número será estabelecido por lei complementar", disse a presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia.
O ministro Marco Aurélio também lembrou que o Congresso não decidiu. "Aqui não está o Congresso Nacional. Muito menos votando. Muito menos no campo administrativo. A República está assentada em três poderes harmônicos e independentes. A Carta da República delimita o campo de atuação de cada poder. [...] Não temos autorização constitucional. Estamos mexendo com a representação de 13 estados, uma dança das cadeiras, de exatamente 10 cadeiras", declarou.
 
COMO FICAM AS BANCADAS DOS ESTADOS NA CÂMARA DOS DEPUTADOS
Estado
Atual
Como fica
Acre
8
8
Alagoas
9
8
Amazonas
8
9
Amapá
8
8
Bahia
39
39
Ceará
22
24
Distrito Federal
8
8
Espírito Santo
10
9
Goiás
17
17
Maranhão
18
18
Minas Gerais
53
55
Mato Grosso do Sul
8
8
Mato Grosso
8
8
Pará
17
21
Paraíba
12
10
Pernambuco
25
24
Piauí
10
8
Paraná
30
29
Rio de Janeiro
46
45
Rio Grande do Norte
8
8
Rondonia
8
8
Roraima
8
8
Rio Grande do Sul
31
30
Santa Catarina
16
17
Sergipe
8
8
São Paulo
70
70
Tocantins
8
8

Fonte: Tribunal Superior Eleitoral

Fonte: http://g1.globo.com/

Manobra Radical de Moto!!!

Manobra Radical de Moto!!!

Rastrear em tempo real, a posição da Estação Espacial Internacional ISS .