Questão da PROVA DA UFBA , muito bom!

sábado, 31 de janeiro de 2009

> Prova de Química - UFba (Univ. Federal da Bahia) Pergunta feita por Professor(a) da
> matéria Termodinâmica, no curso de engenharia química da UFBA
> em sua prova final. Este(a) Professor(a) é conhecido(a) por fazer
> perguntas do tipo "Por que os aviões voam?" em suas provas finais.
> Sua única questão nesta prova para sua turma foi: "O inferno
> é exotérmico ou endotérmico? Justifique sua resposta."
>
> Vários alunos justificaram suas opiniões baseadas na Lei de Boyle ou
> em alguma variante da mesma. Um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:
>
> "Primeiramente, postulemos que o inferno exista e que esse é o lugar
> para onde vão algumas almas. Agora postulamos que as almas existem, assim
> elas devem ter alguma massa e ocupam algum volume . Então um conjunto de
> almas também tem massa e também ocupa um certo volume.
>
> Então, a que taxa as almas estão se movendo para fora e a que taxa elas
> estão se movendo para dentro do inferno? Podemos assumir seguramente
> que,uma vez que uma alma entra no inferno, ela nunca mais sai de lá.
> Por isso, não há almas saindo.
>
> Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhada nas diferentes
> religiões que existem no mundo e no que pregam algumas delas hoje em dia.
> Algumas dessas religiões pregam que se você não pertencer a ela, você vai
> para o inferno ... se você descumprir algum dos 10 mandamentos ou se
> desagradar a Deus você vai para o inferno.
> Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas
> religiões, podemos projetar que todas as almas vão para o inferno.
>
> A experiência mostra que pouca gente respeita os 10 mandamentos. Com as
> taxas de natalidade e mortalidade do jeito que estão, podemos esperar um
> crescimento exponencial das almas no inferno.
> Agora vamos olhar a taxa de mudança de volume no inferno.
>
> A Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem as
> mesmas, a relação entre a massa das almas e o volume do inferno deve ser
> constante.
> Existem, então, duas opções: 1) Se o inferno se expandir numa taxa
> menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a
> pressão no inferno vão aumentar até ele explodir, portanto
> EXOTÉRMICO. 2) Se o inferno estiver se expandindo numa taxa maior do que a
> entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar
> até que o inferno se congele, portanto ENDOTÉRMICO.
>
> Se nós aceitarmos o que a menina mais gostosa da UFBA me disse, no
> primeiro ano: "Só irei pra cama com você no dia que o inferno congelar", e
> levando-se em conta que AINDA NÃO obtive sucesso na tentativa de ter
> relações amorosas com ela, então a opção 2 não é verdadeira. Por isso, o
> inferno é exotérmico."
>
> O aluno tirou 10 na prova.
>
> CONCLUSÕES: "A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu
> tamanho original." (Albert Einstein) "A imaginação é muito mais importante
> que o conhecimento" (Albert Einstein) "Um raciocínio lógico leva você de A
> a B. A imaginação leva você a qualquer lugar que você
> quiser" (Albert Einstein)

O Mentiroso

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Aprenda o Plural

1 advogado = um doutor
2 advogados = um escritório
3 advogados = uma reunião
4 advogados = uma quadrilha

1 arquiteto = uma bicha
2 arquitetos = uma bicha e um carnavalesco
3 arquitetos = uma bicha, um carnavalesco e um cabeleireiro
4 arquitetos = uma festa gay

1 carioca = 1 surfista
2 cariocas = 2 surfistas
3 cariocas = 1 boca de fumo
4 cariocas = um arrastão

1 gaúcho = um cabra macho, tchê !
2 gaúchos = uma briga de faca
3 gaúchos = um rodeio
4 gaúchos = uma parada gay

1 baiano = um escritor famoso
2 baianos = uma luta de capoeira
3 baianos = um grupo de axé
4 baianos = um terreiro de macumba

1 paulista = uma micro-indústria
2 paulistas = uma indústria de médio porte
3 paulistas = uma indústria de grande porte
4 paulistas = uma catástrofe ecológica

1 paraíba = um porteiro
2 paraíbas = repentistas tirando versos
3 paraíbas = um canteiro de obras
4 paraíbas = um caminhão de pau-de-arara indo para São Paulo

1 chinês = uma lavanderia
2 chineses = uma pastelaria
3 chineses = uma equipe de pingue-pongue
4 chineses = uma explosão demográfica

1 italiano = um jornaleiro
2 italianos = uma pizzaria
3 italianos = um ensaio de ópera
4 italianos = novela das oito

1 argentino = um filho da puta
2 argentinos = dois filhos das putas
3 argentinos = tres filhos das putas
4 argentinos = time do Vasco da Gama

Mão de Vaca

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Nº1
- O pai judeu falou:
- Isaac já fez?
- Sim, babai.
- Jacob já fez?
- Sim, babai.
- Sarah já fez?
- Sim, babai.
- Raquel já fez?
- Sim, babai.
- Então bode dar a descarga...

Nº 2
- Isaquinho, vai pegar martelo na casa de Abraão.
- Abraão não quer emprestar porque falou que o senhor
vai gastar o martelo
dele, pai.
- Onde já se viu gastar martelo.
- Vamos fazer o seguinte: Pega nossa martelo mesmo!

Nº3
O Isaac foi na zona, escolheu uma menina e foi logo
perguntando:
- Quanto?
- 50 reais - responde ela.
- E com sadomasoquismo?
- É para você me bater ou apanhar?
- Para eu te bater!
- E você bate muito?
- Não, só até você devolver o dinheiro!

Nº 4
O judeu convertido vai se confessar:
- Padre, há 20 anos atrás, eu abrigou uma refugiado
da guerra.
- Qual o meu pecado?
- Meu filho, nisso não há pecado, você fez uma
caridade!
- Mas, padre, eu cobrar aluguel dele.
- Tem razão, meu filho, isso é pecado! Reze 3 Ave-
Marias e um Pai-Nosso...
- Só mais um pergunta, padre! Devo falar pro ela que
a guerra acabou?

Nº 5
O Jacob vai colocar um anúncio no jornal.
- Gostaria de colocar um nota fúnebre do morte de meu
esposa, diz ao
atendente.
- Pois não, quais são os dizeres?
- Sara morreu!
- Só isso? espanta-se o rapaz.
- Sim, Jacob não quer gastar muito.
- Mas o preço mínimo permite até 5 palavras.
- Então coloca: "Sara morreu. Vendo Monza 94."

Nº 6
Jacob levou o Jacozinho, seu filho de 6 anos, a um
parque de diversões.
Dentre as atrações existia um que chamou em especial
a atenção do garoto:
"Vôo panorâmico de helicóptero".
- Quero levar minha filhinho pra passear, disse
Jacob ao piloto.
- São US$ 100,00, foi a resposta.
Lógico que o judeu não aceitou e como o garoto
começou a chorar o piloto
propôs uma solução:
- Eu levo você e seu filho. Se você não gritar
durante o passeio eu não cobro nada.
E assim foi. Durante o vôo o piloto deu rasantes,
piruetas, desceu e subiu
bruscamente e Jacob, com os olhos arregalados, mudo
como uma rocha...
Quando a nave pousou, o piloto perguntou a Jacob:
- Em nenhum momento você deu um pio sequer... não
sentiu medo e vontade de
gritar?
-Eu sentiu muito medo e quase gritou, principalmente
quando a Jacozinho
caiu...

Entrega Discreta

Invasão

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Um policial do 190 atendeu o telefone e foi
anotando o pedido de socorro:

- POR FAVOR, MANDEM ALGUÉM URGENTE,
ENTROU UM GATO AQUI EM CASA!!!

- Mas como assim, um gato em casa???...

- UM GATO!!! ELE INVADIU A MINHA CASA E
ESTÁ VINDO NA MINHA DIREÇÃO!!!

- Mas como assim? Você quer dizer um ladrão?

- NÃO! ESTOU FALANDO DE UM GATO MESMO,
DESSES QUE FAZEM MIAU, PORRA!!!

- Mas o que tem de mais um gato ir na sua DIREÇÃO?

- ELE VAI ME MATAR, SEUS FILHOS DA PUTA!!!
E VOCÊS SERÃO OS CULPADOS!!!
- Quem está falando???!!!
- O PAPAGAIO, CARALHO!!!!

Balão Surpresa

Suicídio de Baiano

VENCEDOR

Quando um vencedor comete um erro, diz: "Eu errei!" 
Quando um perdedor comete um erro, diz: "Não foi minha culpa." 
 
Um vencedor trabalha duro e tem mais tempo. 
Um perdedor está sempre "muito ocupado" para fazer o que é necessário. 
 
Um vencedor enfrenta e supera o problema. 
Um perdedor dá voltas e nunca consegue resolvê-lo. 
 
Um vencedor se compromete. 
Um perdedor faz promessas. 
 
Um vencedor diz: "Eu sou bom, porém não tão bom como gostaria de ser." 
Um perdedor diz: "Eu não sou tão ruim como tantos outros." 
 
Um vencedor escuta, compreende e responde. 
Um perdedor somente espera uma oportunidade para falar. 
 
Um vencedor respeita aqueles que são superiores a ele e trata de aprender algo com eles. 
Um perdedor resiste àqueles que são superiores a ele e trata de encontrar seus defeitos. 
 
Um vencedor se sente responsável por algo mais do que somente o seu trabalho. 
Um perdedor não colabora e sempre diz: "Eu somente faço o meu trabalho." 
 
Um vencedor diz: "Deve haver melhor forma de fazê-lo ..." 
Um perdedor diz: "Esta é a maneira que sempre fizemos." 
 
 
Um vencedor compartilha esta mensagem com os amigos... 
Um perdedor guarda-a para si mesmo porque não tem tempo...

Banquinhos

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Nova função para laquê

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O avô observa o neto brincando no quintal, e vai perguntar o que é que ele está fazendo. O garoto diz:
- Enfiando as minhocas de volta para a toca delas. E como é que você consegue,meu neto, o bicho é todo molengo, gosmento...te dou dez reais
para você me ensinar a fazer isso. - Bem, eu esborrifo o laquê da vovó, estico a minhoca, espero secar, e aí é só colocar no buraco.
- Ganhou ! Toma os dez reais.Duas horas mais tarde o avô chega para o neto, tira mais dez reais do bolso e põe na mão dele. Espantado o
menino diz para o avô:- Tá ficando caduco, vô? O senhor já me deu os 10 reais.
- Eu sei. Mas esses 10 foi a tua vó quem mandou...pela sua ótima idéia.

Plano de Saúde

Sogra

domingo, 25 de janeiro de 2009

Manoel X Maquina de Refrigerante

Em um shopping, Manoel observa um garoto colocar uma moeda na máquina e retirar um refrigerante.
Empolgadíssimo, ele vai até o caixa, compra um saco cheio de moedas e começa: coloca uma moeda e retira um refrigerante. Depois mais uma moeda e outro refrigerante.
E continua...
Depois de acumular umas 15 latinhas o segurança do shopping vai até ele e pergunta:
— Amigo, quantos refrigerantes você vai levar?
— Ora pois! Enquanto eu estiver a ganhaire, não paro.

Queda de Avião.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Um avião caiu na floresta. Restaram apenas

três sobreviventes: um indiano, um judeu e

um argentino. Caminhando entre as árvores

da grande floresta, encontraram uma pequena

casa e pediram para passar a noite.
O dono da casa disse:
- Minha casa é muito pequena, posso acomodar

somente duas pessoas. Um terá que dormir no curral.
O indiano respondeu:
- Eu dormirei no curral, sou indiano e hinduísta,

necessito praticar o bem.
Após uns 30 minutos, batem à porta da casa.

Era o indiano, que disse:
- Não posso ficar no curral. Lá tem uma vaca,

que é um animal sagrado. Eu não posso dormir

junto a um animal sagrado.
Então o judeu respondeu:
- Eu dormirei no curral. Somos um povo muito

humilde e sem preconceitos.
Após uns 30 minutos, batem à porta da casa.
Era o judeu, que disse:
- Não posso ficar no curral. Lá tem um porco,

que é um animal impuro. Eu não posso dormir

junto a um animal que não seja puro.
Então, o argentino, 'muy chateado da vida',

aceitou dormir no curral.
Após uns 30 minutos, batem à porta da casa.
Eram o porco e a vaca.

Informativo do Ministério da Saúde.

Fotos e a História do Município de Santos Dumont

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009


A descoberta dos metais preciosos era uma das grandes aspirações do governo português em relação ao Brasil, desde os primórdios de sua colonização. Mas, foi somente em fins do século XVII, que os descobrimentos nas regiões de Minas Gerais viriam a concretizar o sonho português.
Artur de Sá Menezes foi então escolhido governador para executar um programa de descobrimentos de novos veios.
Tornava-se necessário promover a abertura de um caminho que fizesse uma ligação direta entre a sede da Capitania (Rio de Janeiro) e as Minas de Cataguases, região do ouro, uma vez que a antiga rota, mais conhecida como “Caminho Velho”, era longa demais.
Foi assim que Garcia Rodrigues Paes, que estava na ocasião explorando minas na região do Ribeirão do Carmo, se dispôs a abrir uma picada que encurtasse a viagem da Capital à região das minas.
A picada conhecida como “Caminho Novo”, que foi completada por Domingos Rodrigues da Fonseca, venceu a Mantiqueira, encontrou o Rio Paraibuna, margeando-o até a sua barra no Paraíba e, pela Serra dos Órgãos, alcançou o Rio de Janeiro, passando pelo Registro de Paraibuna, Simão Pereira, Matias Barbosa, Sá Fortes, Juiz de Fora, Antônio Moreira, Engenho e Pedro Alves. Partindo assim, da Borda do Campo, onde se reuniram as veredas dos rios das Mortes, das Velhas e Doce. O “Caminho Novo” se encontrava com o “Caminho Velho”.
Assim, às margens do Caminho Novo estavam as sesmarias, cujas concessões visavam, em pleno fastigo de ouro, garantir a formação de lavouras para suprir aos bandeirantes.
Numa delas, requerida por Domingos Gonçalves Ramos à coroa portuguesa em 26 de fevereiro de 1709, despontou um agrupamento com casarios dispersos, o futuro Arraial de “João Gomes”. Nas terras apareciam ranchos onde os viajantes do Caminho Novo se abrigavam. Em época que não se pode precisar(provavelmente após 1730) levantou-se a primitiva Capela de “São Miguel e Almas”, construída por João Gomes.
A imagem de São Miguel, o padroeiro de nossa cidade, que ainda hoje se venera em nossa Matriz, é a mesma trazida por João Gomes e Clara Maria de Melo por volta de 1728/29 de Portugal.
A sesmaria de Domingos Gonçalves Ramos correspondia na época a uma légua de testada de um lado a outro do trecho atravessado pelo Caminho Novo, por três léguas de profundidade. Foi habitada pela família do requerente incluindo seus dois genros: Pedro Alves de Oliveira e João Gonçalves Chaves, presenças fundamentais no povoamento da região.
João Gonçalves Chaves requereu à coroa portuguesa a sesmaria da parte norte, que lhe foi concedida por carta em 17 de janeiro de 1715, correspondendo ao núcleo posterior. João Gomes e Pedro Alves de Oliveira requereram a parte sul, ocupando engenhos e plantações na região que lhes coube. A rocinha de Pedro Alves é hoje a parte da cidade de Santos Dumont.
Com a morte de João Gomes Martins em 1745, sua herança coube por direito de primogenitura, a seu filho Francisco Gomes Martins, casado com Clara Maria de Jesus, que viúva em 1790, teve posse da sesmaria. Mais tarde elas seriam entregue ao filho mais novo de João Gomes, o Inconfidente João Ayres Gomes.
Coube a família de João Gomes Martins, o núcleo primitivo da população, que desenvolveu incorporando o nome de seus proprietários ---Rocinha de João Gomes, Fazenda de João Gomes, Distrito de João Gomes, João Gomes Velho, Palmyra e atual Santos Dumont.
A Capela de João Gomes, que havia sido transferida para outro local em 1788, volta a ser erguida no primitivo lugar, em virtude de provisão de 27 de junho de 1827. Foi quando o povoado tomou algum impulso e foi crescendo, até que a Lei nº 1458 de 31 de dezembro de 1867, elevou o Distrito de João Gomes à categoria de Paróquia.
A região teve um reconhecido progresso com a chegada da ferrovia (Estrada de Ferro D. Pedro II, através do decreto nº 6.238 de 27 de julho de 1876). Com a autorização para a construção da estrada marítima de Gamboa, deu-se início à construção da linha central, ou seja, trechos que cortavam o interior do Brasil ultrapassando montanhas, serras e rios. Com a estrada de ferro, cujo ramal passava na região de João Gomes veio morar na região o engenheiro Henrique Dumont, pai de Alberto Santos Dumont.
A consagração da Paróquia de João Gomes veio em 27 de julho de 1889 com o decreto nº 73.712, que elevou o distrito à categoria de Vila, sendo escolhido um novo nome “Palmyra”, resolução feita nas dependências do Clube Literário “João Gomes”, presidido por Dr. Carlos da Silva Fortes e o Vigário José Augusto de Lima, sob o governo do Barão de Ibituruna.
A instalação do município: 15 de fevereiro de 1890.
Período agitado de emoções e de surpresa, José Cesário de Faria Alvim, que assumiria o governo provisório do Estado, dava cumprimento à lei Provincial que criara o Município de Palmyra, dispondo pela sua imediata instalação.
Com o crescimento do município as ruas foram alinhadas; teve água potável; iluminação a querosene e mais tarde a energia elétrica.
Além dos serviços públicos muitas empresas foram instaladas no município, entre elas a Fábrica de Coalho Frísia, Companhia de Laticínios Alberto Boeck, Companhia Brasileira Carbureto de Cálcio, Companhia Gráfica de Palmyra, mais tarde Metalgráfica Palmyra.
Na área educaional destacamos entre outros estabelecimentos , o Colégio Normal de Palmyra fundado em 1916 e dirigido a princípio pelas irmãs Franciscanas, mais tarde Congregação das Filhas de Jesus, e depois, Irmãs Escolápias.
Palmyra na década de 20, despontava como cidade dotada de excelente clima, fator fundamental para a audaciosa iniciativa do Dr. Carvalho Leite, em construir o “Hotel de Convalescentes” inaugurado em setembro de 1920. De arquitetura soberba, o estabelecimento foi erguido no topo de um dos morros da cidade. O Hotel mais tarde denominado “Sanatório de Palmyra” teve como um dos primeiros hóspedes o Conselheiro Rui Barbosa.
O desenvolvimento econômico, social e cultural de Palmyra foi muito significativo nas últimas décadas do século XIX e primeiras do século XX. A população cresceu e em seu meio se fazia expressivo o número de imigrantes, em especial portugueses, italianos e libaneses.
A década de 30 foi a época de grandes transformações em todos os setores. Pelo decreto nº 10.447, de 31 de julho de 1932, foi sua denominação alterada de Palmyra para Santos Dumont, em homenagem ao seu filho ilustre, Alberto Santos Dumont, o Pai da Aviação.
Na década de 40 a preservação da memória histórica do filho ilustre da terra culminou com a criação da “Fundação Casa de Cabangu”, pelo historiador Sr. Oswaldo Castello Branco.
Com o crescimento do município a Igreja Central foi desdobrada em duas Paróquias:
São Miguel e Almas e São Sebastião.
Na área cultural destacamos instituições filantrópicas como o Lions Clube, o Rotary Clube e a Loja Maçônica Antenor Ayres Viana.
Com o passar dos anos o município de Santos Dumont veio se destacando em vários setores da vida econômica, social, política e cultural, enfrentando dificuldades como todos os municípios, porém superando-as na medida do possível.
Hoje o município conta com as Faculdades de Turismo, Normal Superior, Sistemas de Informação, Administração e Comércio Exterior, Letras e Ciências Contábeis, o que muito vem contribuindo com o progresso educacional e cultural de nossa cidade.
A Divisão de Cultura tem realizado um trabalho muito importante e significativo na divulgação de nossas raízes através de eventos culturais e educacionais fundamentais para o crescimento cultural.
Santos Dumont está situada na região sudeste do Estado de Minas Gerais, na Zona da Mata. Ocupa uma área de terreno montanhoso e que apresenta como principal acidente geográfico a Serra da Mantiqueira.
É formado, além da sede, por quatro distritos: Conceição do Formoso, Dores do Paraibuna, São João da Serra e Mantiqueira. Limita-se com as cidades de Ewbank da Câmara, Juiz de Fora, Oliveira Fortes, Antônio Carlos, Barbacena, Aracitaba, Tabuleiro, Piau e Bias Fortes.
Seus principais rios são: Paraibuna, Piau, Pinho, Formoso e Ribeirão das Posses. Possui clima tropical de altitude.
Um privilegiado sistema rodoviário liga Santos Dumont à capital mineira e ao Estado do Rio de Janeiro, através da BR 040, numa distância de aproximadamente 210 Km.
Estando atento as mudanças ocorridas no campo cultural, ou seja, aos parâmetros que norteiam uma nova maneira de se construir a história, o Município de Santos Dumont, desde de 1997 vem se empenhando efetivamente na implantação de uma política que busque a conscientização de toda a comunidade da necessidade de se preservar a história.
O primeiro passo foi dado já em 1992 com a Lei de Criação do “Arquivo Público Municipal” – Lei Municipal Nº 2.513 de 23 /12 /1992, na gestão do então prefeito Dr. Pacífico Esties Rodrigues. Primeiro passo este, importantíssimo para que esta nova maneira de se fazer história tomasse forma e conclamasse todos a se empenharem na “guarda” de sua memória.
Para organizar e “guardar” esta memória foi convidada em 1998 a professora de História Marisa Fontes. A organização do Arquivo e a implantação do Sistema de Arquivos em S.D culminou com a sua inauguração em junho de 2000. A partir daí a população viu que de fato a população é o sujeito construtor da História e o verdadeiro guardião das nossas raízes.
Outro passo de igual valor para esta caminhada foi a instituição em 1997 do Conselho Municipal Deliberativo do Patrimônio Cultural, através da Lei Nº 2.981 de 22/04/1997, demonstrando assim que uma política patrimonial vai muito além de se proteger o que é “meu”, “o meu patrimônio”. É desenvolver mecanismos para que gradativamente seja construída uma “Educação Patrimonial” capaz de gerar mudanças significativas.
Uma forma bastante abrangente e eficaz de se alcançar tais mudanças é a política que vem sendo adotada pelo Departamento de Patrimônio Cultural juntamente com o Conselho do Patrimônio e a Divisão de Cultura através dos Projetos Culturais desenvolvidos em parceria com Instituições culturais e educacionais do município.
Foi de grande importância a elaboração da Cartilha “Tombar”, distribuída na Comunidade sandumonense esclarecendo o valor de “resgatar, “preservar” e “proteger” as nossas raízes históricas. Esta Cartilha proporcionou a elaboração De vários Projetos são eles: “Preservar é resguardar”, teve como ponto marcante um Concurso de redação sobre o tema envolvendo toda a comunidade estudantil. O segundo Projeto “Conhecer para Preservar”, contou com a participação dos artistas da cidade em uma Exposição retratando através de suas obras os Bens patrimoniais do município. O terceiro Projeto “Educar para Preservar” propiciou a organização da “I Conferência de Educação e Preservação Patrimonial” de Santos Dumont em 2002 com participação inclusive de técnicos do IEPHA nas palestras. No ano de 2003 realizou-se a “II Conferencia de Educação e Preservação Patrimonial “ – enfocando o tem “Prevenção em Foco”.
Todas estas ações entre outras são mecanismos pelos quais o município tem conseguido sensibilizar o cidadão sandumonense para a valorização e o respeito às suas raízes históricas.
Hoje, o Município de Santos Dumont encontra-se com uma excelente pontuação no IEPHA M. G., resultado do trabalho dos Departamentos da área de Cultura, do apoio da Prefeitura e de toda a Comunidade sandumonense.
“Preservando nossas raízes históricas estamos fortalecendo
nossa cidadania e nossa identidade cultural”.
DIVISÃO DE ARQUIVO PÚBLICO E PATRIMÔNO CULTURAL


Fotos Retiradas da WEB.


Represa da Ponte Preta

Museu de Cabangu

Ferrovia

Estrada Real

Fotos Aérea

No Tempo do Vovô

Rastrear em tempo real, a posição da Estação Espacial Internacional ISS .