[Quadrinhos] Mosca

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

[Quadrinhos] Efeitos do Álcool

domingo, 26 de outubro de 2008

[Instrução para Homens] As 10 Razões.

sábado, 25 de outubro de 2008

[Piada] BIN LADEN E SADAN HUSSEIN

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

[Instrução para Homens] Código de Transito Para Homens.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

[Piada] A BEXIGA

O menino estava brincando pela casa com uma bexiga na mão. Quando entrou no banheiro ela escapou e foi cair justamente dentro da privada. Com nojo, ele deixou a danada ali mesmo. Pouco tempo depois seu pai entrou para se "desocupar" e nem notou a bexiga. Ficou ali, lendo enquanto fazia o serviço. Ao terminar, olhou horrorizado para o vaso sanitário. Suas fezes haviam coberto o balão e a impressão era de um imenso, um absurdo, um gigantesco bolo fecal! Sem acreditar naquilo, ligou ali mesmo, do celular, para o seu amigo que era médico: * Geraldo, eu enchi a privada de bosta. Nunca vi tanta assim na minha vida! Tá quase passando do limite do vaso! Acho que eu devo estar com um algum problema sério! * O que é isso Anselmo, cê tá exagerando! * Que exagerando o quê! Eu tô olhando pra esse "merdel" todo agora! É um absurdo! Eu devo estar doente!!! * Bom, eu já tava indo pra casa; aproveito e passo aí que é caminho! O médico chega e vai direto ao encontro do amigo. * Cadê o negócio Anselmo que voc...nossa mãe do céu, o que é isso?! O que você comeu criatura?! * Não falei?! Agora tá acreditando, né?!

* Nossa, isso é inacreditável! * E então, será que eu tenho alguma coisa séria?! * Olha, melhor eu pegar uma amostra desse cocozão e mandar para análise! O médico saca uma pequena espátula de sua maleta e quando encosta para coletar, a bexiga estoura! Voa merda para tudo que é lado, de forma incrível! Os dois cobertos de bosta se olham e, estupefato, o médico berra: * Puta que o pariu, eu achava que já tinha visto de tudo, mas peido com casca pra mim é novidade!

[Sátira] Quem e este homem?

[Piada] Frases de Pára-choques // A Balança.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Pára-choques


Pobre e igual disco de embreagem:

Quanto mais trabalha mais fica liso.


Escândalo no Brasil e sempre assim:

O homen acaba no jornal nacional e a mulher na playboy.


Para se casar com uma mulher bonita, rica, jovem e inteligente:

O homen tem que se casar 4 vezes.


Mulher bonita e igual a musicado Zeca pagodinho:

Nunca vi nem comi, eu só ouço falar.






[Reflexão] Desaforado

domingo, 19 de outubro de 2008

Fazia muito frio naquele aeroporto e a jovem ficou extremamente insatisfeita quando notou no painel que o seu vôo sofreria atraso em razão da nevasca que impedia o pouso e decolagem das aeronaves. Contrariada, pensou numa maneira de “passar o tempo”. Comprou um livro, que há tempos queria ler um pacote de biscoitos e, procurando proteger-se do frio, encolhida dentro de vários casacos, sentou-se num banco ao lado de um senhor. Absorta, começou a folhear o livro e, num misto de espanto e indignação, notou o homem apanhar um biscoito do pacote. Apanhada de surpresa limitou-se também a pegar um biscoito. O homem também o fez. E assim ocorreram sucessivas vezes. A cada biscoito que ela pegava o homem também o fazia. Em silêncio, fazia o pior juízo do desconhecido que, petulante, comia a metade de seu biscoito. Irada, pensou por diversas vezes em levantar-se e dizer os maiores desaforos ao homem. Chamar a polícia. Tomar os biscoitos e sair dali. Sujeitinho desaforado, biltre, safado, cafajeste etc. pensavam ela. De repente sobrou só um biscoito no pacote. Num gesto que ela tomou como afronta, o homem tomou o biscoito, partiu ao meio, devolvendo a outra metade ao pacote, que ela instintivamente apanhou com quem ela já tivera o desprazer de dividir o mesmo espaço, pensou partiria dentro de instantes. Passado perto de meia hora, quando ainda remoída dentro de si os piores pensamentos em relação ao homem; ouviu anunciarem o seu vôo. Aliviada, levantou-se e teve uma surpresa. Em meio a seus pertences e casacos viu um pacote de biscoitos. O seu pacote de biscoitos. Num segundo compreendeu o ocorrido. Desejou Ter ali o homem para pedir-lhe desculpas por todas as barbaridades que dele havia pensado. Agradecer-lhe a resignação com que a vira devorando o seu pacote de biscoitos; o pacote que ela pensava ser dela. Sua bondade infinita, que repartira com ela até o último biscoito. A compreensão e meiguice para com o erro alheio. Já era tarde. O homem partira e ela, provavelmente, nunca mais o veria. Não teria como retribuir o carinho com que a tratara. Assim ocorre conosco às vezes. Fazemos julgamentos e decretamos sentenças e não vemos o quanto estamos errados. Não damos o nosso apoio e nossa afeição aos que cometem erros e precisam da nossa ajuda. Quando chegar o arrependimento, talvez não dê tempo para consertar o estrago. Que a luz do amor ao próximo, chave mestra para a paz, esteja sempre conosco.

[Piada] Preconceito RICO X POBRE

sábado, 18 de outubro de 2008

Rico com uniforme: Coronel

Pobre com Uniforme: Porteiro

Rico com Arma: Praticante de tiro

Pobre com pistola: Assaltante

Rico de unhas pintadas: Playboy

Pobre de unhas pintadas: Boióla

Rico com maleta: Executivo

Pobre com maleta: Office-Boy

Rico com chofer: Milionário

Pobre com chofer: Preso

Rico de sandálias: Turista

Pobre de sandálias: Mendigo

Rico que come muito: Bem Alimentado

Pobre que come muito: Esfomeado

Rico na mesa de bilhar: Elegante

Pobre na mesa de bilhar: Viciado em Jogo

Rico lendo jornal: Intelectual

Pobre lendo jornal: Desempregado

Rico se coçando: Alérgico

Pobre se coçando: Sarnento

Rico correndo: Esportista

Pobre correndo: Ladrão

Rico vestido de branco: Doutor

Pobre vestido de branco: Pai de Santo

Rico pescando: Lazer

Pobre pescando: Atoa

Rico subindo o morro: Rapel

Pobre subindo o morro: Voltando para Casa

Rico em restaurante: Cliente

Pobre em restaurante: Garçom

Rico bem vestido: Executivo

Pobre bem vestido: Estelionatário

Rico barrigudo: Bem Sucedido

Pobre barrigudo: Com Vermes

Rico coçando a cabeça: Pensando

Pobre coçando a cabeça: Piolhento

Rico parado na rua: Pedestre

Pobre parado na rua: Suspeito

Rico de terno: Empresário

Pobre de terno: Defunto

Rico dirigindo: Proprietário do Carro

Pobre dirigindo: Chofer

Rico na loja: “Eu Compro.”

Pobre na loja: “Estou só Olhando.”

Rico chorando: Sensível

Pobre chorando: Molenga

Rico traído: Adultério

Pobre traído: Corno


[Piada] !@#%¨*&££¢¬*%¨*&££¢¬₢~^´-+§'"@

sexta-feira, 17 de outubro de 2008



#### Sogra ####

João encontra o Pedrinho na rua diz: Pedrinho você esta igualzinho a minha sogra, a única diferença e o bigode.

O Pedrinho responde para João eu não tenho bigode.

E João fala para Pedrinho, mas minha sogra tem.


[Piada] A vida e dura :-)

quarta-feira, 15 de outubro de 2008




[Piada] + Loiras :-)



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se você jogar do alto de um prédio uma loira e uma morena, quem chega primeiro no chão?

A morena. Porque a loira para no meio da queda para pedir informação.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Porque a loira comprou vários potes de creme antes de morrer?

Ela queria ser cremada.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

[Curiosidade] Exposição O Corpo Humano São Paulo 2007

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Exposição O Corpo Humano São Paulo 2007

"Corpo Humano: Real e Fascinante" teve em São Paulo 16 cadáveres de homens e mulheres e 225 órgãos dissecados -- em Nova York, foram 22 corpos, incluindo fetos, e 260 órgãos. Inglaterra, Coréia do Sul, México e Holanda já abrigaram a exposição, criada por Roy Glover, professor de anatomia e biologia celular da Universidade de Michigan.

Os tecidos dos cadáveres passaram por um processo que lhes deu aparência e textura de plástico. Chamado polimerização, o procedimento foi supervisionado por Glover (também diretor-chefe do Laboratório de Preservação Polímera da universidade) e realizado em diversas etapas.

Os corpos foram inicialmente embalsamados para preservação dos tecidos. Depois passaram por uma desidratação por imersão em acetona. A substância preencheu o corpo no lugar dos líquidos corporais e foi posteriormente eliminada como vapor em uma câmara a vácuo. Em seu lugar, foi aplicada uma solução de polímeros em silicone líquido. A finalização do processo se deu com a aplicação de um composto que enrijece o silicone, dando aos tecidos uma consistência plástica.

O procedimento permite selecionar as cores desejadas para cada parte do corpo, que se torna inodoro, e garante longa durabilidade aos tecidos.


Polêmica


No exterior, a utilização de corpos humanos em uma exposição não foi o único motivo para polêmica. Houve discussões sobre a origem dos cadáveres, fornecidos pela Escola Universitária de Medicina de Dalian (norte da China) --chegaram a ser levantadas especulações, nunca comprovadas, de que os corpos seriam de criminosos executados.

Os organizadores afirmam que os corpos são de pessoas que tiveram morte natural e em vida optaram por participar de um programa de doação em benefício da ciência e da educação na China.



Texto FolhaOn-line 15/02/2007














·
Veja imagens da exposição montada na Alemanha em 2001




[Piada] Piadas homenagem às loiras :)

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Porque a loira toma banho com o chuveiro fechado?

Porque o xampu e para cabelo seco.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O que faz uma loira de madrugada batendo com a cabeça no monitor do computador?

Esta tentando entrar na internete.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Porque a loira ficou feliz em terminar de montar um quebra cabeça em 6 meses?

Porque era recomendado de 03 a 04 Anos.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Porque a loira colocou uma pedra de gelo em cima do monitor do computador?

Estava tentando congelar a tela.


[Turismo] Atrativos do Museu do Pai da Aviação(03)

domingo, 12 de outubro de 2008

[Turismo] Atrativos do Museu do Pai da Aviação(02)



[Turismo] Atrativos do Museu do Pai da Aviação(01)



[Turismo] Resumo da Trajetória da Vida de Alberto Santos Dumont

A História de Um Sonho.

Dr. Henrique Dumont, filho de ourives franceses que negociavam ouro e pedras preciosas no Brasil. Nasceu em Diamantina – MG em 20 de julho de 1832. Foi para a França onde se tornou engenheiro. Regressou a Minas Gerais e casou-se com Francisca filha de um comendador português. O casamento deu-lhe oito filhos: Henrique, Maria, Rosalina, Virginia, Luiz, Gabriela, Alberto, Sofia e Francisca.
O nascimento de Alberto Santos Dumont foi marcado pelo espírito de aventura, que caracterizou toda sua vida. Seu pai, corajoso engenheiro, empreitou em 1872 a construção do trecho da Estrada de Ferro D. Pedro ll e entre as localidades de João Gomes (posteriormente Palmyra e hoje Santos Dumont) e João Aires. Foi para melhor realizar seu trabalho que levou a família (esposa e cinco filhos) para uma casa no canteiro de obras, local de nome “Cabangu” onde nasceu o sexto filho que se chamou Alberto (em 1873).
A permanência da família no Cabangu foi relativamente curta; em 1875, terminado o contrato de Dr. Henrique com a ferrovia, a residência foi transferida para Valença – RJ e posteriormente para a fazenda Arindeúva em Ribeirão Preto – SP onde se dedicou à plantação de café.
Alberto nascido na data em que o pai completava 41 anos, em 20 se julho de 1873 mostrou-se desde cedo herdeiro do senso prático e da inteligência brilhante de seu pai.
Aos 12 anos observava o movimento das máquinas de beneficiamento do café e assim sem se dar conta estudava mecânica. Nas leituras de Julio Verne, seu principal passatempo, já construía na imaginação formas de voar.

França Onde o sonho se tornou realidade

Em 1891 em uma viagem a Paris com a família, conheceu um leve, pequeno, mas possante motor a petróleo, demonstrado em uma exposição.
Alberto fascinado recebeu do pai autorização para completar seus estudos na França.
De volta ao Brasil, Dr. Henrique deu lhe a emancipação em cartório, recomendando-lhe: “Vá a Paris, estude sem se preocupar em ser um doutor. Procure especialistas em Física, Química, Mecânica e Eletricidade. Não se esqueça de que o futuro do mundo está na mecânica...” E assim aconteceu.
Entusiasmado com seus estudos, Alberto orientou seus trabalhos para o vôo em balões, logo transformados em dirigíveis com a colocação do motor.
O desafio da dirigibilidade vencido em 1901 pelo o contorno da Torre Eifel em vôo de 30 Minutos (contra a força dos ventos ) deu-lhe o primeiro premio instituído para aviação.
Em vitórias sucessivas, Alberto tornou-se conhecido por todas as nações como Santos Dumont. É desta época a criação de sua assinatura que passou a ser a marca do gênio brasileiro da aviação: “Santos = Dumont” o sinal de igualdade como forma de unir suas duas nacionalidades Santos de sua mãe brasileira e Dumont nome paternal francês.
Em 23 de outubro de 1906, em Bagatelle o vôo do “14 BIS” provocou que um aparelho mais pesado que o ar levaria o homem a realidade de voar.

Serra da Mantiqueira O berço de um sonho

Localizada no alto da Serra da Mantiqueira em Minas Gerais, Cabangu, local que serviu de berço para Alberto Santos Dumont, hoje conservando como museu, guarda a historia do Pai da Aviação.

Retorno ao Cabangu

Depois de conhecer de perto a vitória com suas conquistas na área da aviação e longa permanência na Europa, Santos Dumont regressa ao Brasil, e vai buscar no seu berço Cabangu no município de Palmyra, a tranqüilidade para o seu coração atingido por tantas emoções.
Em 1919 Santos Dumont, após tentativa de compra, recebeu por decreto do governo, sua casa natal como doação e passou a dedicar-se à criação de gado como fazendeiro da Mantiqueira.
São dessa época as reformas:
Construção da lareira, do banheiro, a aterro ao redor da casa, o lago com o repuxo e fixou na varanda a placa com dizeres:
“Esta casa onde nasci me foi oferecida pelo Congresso Nacional como prêmio dos meus trabalhos”.
Santos Dumont (Agradecido)
A partir daí, as atividades de fazendeiro se intercalavam as suas viagens de homem público que era.
A administração da fazenda nesses períodos era feita por meio de cartas ao caseiro João e fazendeiros amigos.
(São desse tempo o rico acervo de museu em cartas, fotografias e notas de compras).
Esse grande e valioso acervo guardado pelo João na forma rude de um campeiro foi deixado no Cabangu junto a valiosos bens de Santos Dumont.

Preservação

A necessidade de tratamento de saúde levou Santos Dumont à venda do gado das terras de Cabangu.
A casa foi conservada por ordem categórica em carta a um amigo:
“... vendam tudo, menos a casa, isto eu guardo...”.
Anos mais tarde, ao registrar seu testamento mais uma vez preservou a casa de se nascimento ordenando:
“... A casa do Cabangu, eu quero que seja devolvida a Nação, minha doadora...”.
Dessa forma aparentemente ocasional a casa do cabangu, contendo jornais, revistas e valiosas fotos de suas experiências na França, junto a dois bustos e outros bens, ficou defendida.
A noticia da morte de Santos Dumont ocorrida em Guarujá – SP, no dia 23 de Julho de 1932, comoveu o povo de Palmyra que se mobilizou para guardar sua memória.
Todos os bens da casa do cabangu assim como a própria casa tornaram-se relíquias para o idealizado museu.
O nome da cidade, em sua homenagem foi mudado em 31 de julho de 1932; a cidade Palmyra passou a chamar-se Santos Dumont.
Em 1949 a “Fundação Casa de Cabangu”, foi criada para a proteção, divulgação da vida e da obra do Pai da Aviação.
Instituída por decreto 5057 em 18/07/56 do estado de Minas Gerais cria o “ Museu Casa Natal de Santos Dumont”.
Em 1973 ligada a Santos Dumont pela rodovia BR 499, a Fazenda de Cabangu transforma-se num belo recanto de atração turística e monumento vivo a memória do grande brasileiro.

Bibliografia.: Folheto da Fundação Casa de Cabangu.

Rastrear em tempo real, a posição da Estação Espacial Internacional ISS .